• Veterinária 3 Irmãos

O Yorkshire Terrier

Originário da Inglaterra, o yorkshire terrier, também conhecido como york ou yorkie, é um ótimo cão de companhia, muito inteligente e dócil. Graças ao seu tamanho, tem fácil adaptação a espaços pequenos. É ideal para pessoas que moram sozinhas e, também, para grandes famílias. Esperto e brincalhão, o yorkshire é um bom cão de guarda, alertando sobre presenças e barulhos estranhos.


A personalidade dessa raça requer um líder que imponha regras e dê comandos com voz firme – ou então ele vai passar a apresentar comportamentos inadequados, como, por exemplo, puxar a coleira durante o passeio, frequentar áreas da casa não permitidas e fazer xixi e cocô no local errado.


A raça que conhecemos hoje foi criada na cidade de Yorkshire, em meio à Revolução Industrial. É o resultado da mistura de outros terriers, muitos deles vindos da Escócia, acompanhando seus donos, que buscavam emprego em fábricas e moinhos. As origens dessa raça remetem ao extinto waterside terrier, formada por cruzamentos entre o black-and-tan english terrier, o paisley terrier e o clydesdale terrier. Foi reconhecido oficialmente como yorkshire terrier pelo Kennel Clube Britânico em 1874.


Quem tem um em casa, sabe que os filhotinhos normalmente têm a pelagem marrom, preta e castanha. Na fase adulta, passam a ter tons de preto e dourado, preto e castanho, azul aço e dourado ou azul aço e castanho. 


São cheios de energia, corajosos, determinados e investigativos. Gostam muito de alertar o dono quando há algo estranho, como campainha ou barulho no corredor. O alto nível de adaptação faz com que ele espelhe as pessoas da casa: se forem agitadas ou calmas, ele adotará a mesma linha de comportamento. Embora tenham sido criados como cães de caça, deixaram a força de trabalho para se tornarem cães de companhia em famílias da alta sociedade europeia. Se saíram muito bem nessa missão e hoje ocupam posição de destaque no quesito popularidade.


São perfeitos para convivência com crianças, já que são dóceis e adoram brincar. Com estranhos, primeiro ele dão o alerta. Assim que percebem que é uma presença amigável, demonstram a alegria em fazer um novo amigo. O mesmo vale para outros cães e gatos. 


Os principais cuidados com o yorkshire terrier estão relacionais ao pelo longo. No geral, há que se cuidar com o colo, pois, se carregado sempre, poderá sofrer com problemas de coluna e comportamento inapropriado, como latir sem motivo para outras pessoas e animais. Nos banhos, tenha sempre água morna e evite o excesso de shampoo. Escovação frequente do pelo e tosas higiênicas são fundamentais. As suas unhas crescem rapidamente e precisam ser aparadas duas vezes ao mês. As orelhinhas devem ser checadas regularmente para que não haja acúmulo de cera ou sujeira, o que provoca infecções.


Alguns problemas de saúde podem acometer o yorkshire terrier, apesar de se tratar de uma raça geralmente saudável. Para manter a saúde do yorkie em dia, evite puxar a guia bruscamente na hora do passeio, não permita que ele pule de locais altos para que não tenha luxação de patela, escove os seus dentes para reduzir o tártaro e fique atento aos seus olhos, já que infecções nessa área não são raras.


Como sempre, a consulta periódica com o veterinário é muito importante para garantir que qualquer complicação possa ser diagnosticada precocemente e um tratamento possa ser atribuído.


Curiosidades 


A raça ficou conhecida como yorkshire terrier depois que Angus Sutherland, repórter da revista The Field, publicou: “Não irão mais ser chamados de Scotch Terriers, mas de Yorkshire Terriers por terem sido tão aprimorados lá”. De acordo com o ranking mais conhecido de inteligência canina, elaborado por Stanley Coren, o yorkshire terrier ocupa a 27ª posição, sendo o mais inteligente dos terriers, qualificado como acima da média para um cão trabalhador.



Adaptado de: doghero.com



116 visualizações

© 2018 - Todos os direitos reservados para Clínica Veterinária 3 Irmãos